Clássico I – 2010

Primeiro Clássico de 2010: Atlético 1 x 3 Cruzeiro


Eu nem comento campeonato mineiro, pois acho que é apenas um campeonato-treino para testar jogadores, jogadas e dar ritmo. Mas pra ser um treino de verdade tem que treinar jogo importante, e pra isso serve o clássico.

E o clássico das flanelinhas até que enfim voltou a ser clássico. A torcida do maior de minas levou flanelas para ironizar o adversário e até que enfim o time do lado escuro da lagoa veio pra jogar bola. O que se viu foi o Atlético jogando o jogo da vida e da morte deles e o Cruzeiro participando da sexta rodada do campeonato mineiro. Como de costume. Resultado? Não mudou nada não, Cruzeiro ganha mais um sustentando uma hegemonia que já dura 3 anos, desde aquele jogo que o Fábio tomou um gol de costas (lembra?) o Cruzeiro não perde para o rival jogando com time titular. Lá se vão 14 ou 15 jogos, já perdi a conta de quantos jogos são, parei de contar no décimo.

Mas é assim mesmo, muda tudo do lado de lá, do lado de cá continua tudo igual, inclusive a vitória.

xD

Foto -> Washington Alves/VIPCOMM

PS.: e o Roger hein!? Estréia que me lembrou demais o também primeiro jogo do gladiador ano passado. Espero que jogue bola tão bem quanto.

Começou a Libertadores ’10

Primeiro jogo da fase de grupos:  Vélez Sarsfield 2 x 0 Cruzeiro

Começou a Libertadores  ’10!

E parece que o Cruzeiro incomoda muita gente.

A arbitragem mais tendenciosa da história da competição aconteceu e a equipe celeste foi derrotada no único jogo dessa fase de grupos que uma derrota seria até aceitável. O Vélez campeão argentino, atual líder do mesmo campeonato, jogando em casa, com a torcida, com 11 jogadores, mais o juíz…

2 a 0 foi pouco… mas como o jogo já aconteceu a mais de uma semana, vamos apenas comemorar o início de mais uma edição da competição mais importante das Américas.

Quer saber mais sobre a história alvi-celeste nas guerras das américas ? Clique aqui.

xD

-> Foto: Cruzeiro/Divulgação

Libertadores ’09 – Final

Segundo jogo da final: Cruzeiro 1 x 2 Estudiantes

crugerson_fd_15072009001

Mais um jogo tenso e nervoso.

Como não poderia deixar de ser, foi um jogo para entrar para a história do Cruzeiro Esporte Clube. Infelizmente pela tristeza de ser segundo colocado.

Certamente a posição mais dolorosa que exista em um campeonato disputado em formato mata-mata, mas sem dúvida é a posição que ensina as mais valorosas lições. Nem mesmo o primeiro traz tantos ensinamentos. O problema é que são lições dadas à ferro quente, com sabor amargo. Mas só sente esse sabor quem é guerreiro e vai à luta.

Cruzeirense não é acostumado a perder, tamanha a competência do time. Para se ter uma idéia, dos últimos 7 títulos disputados pela equipe profissional no Cruzeiro, em 6 o time esteve entre os três primeiros, que são as posições de honra no mundo esportivo, premiadas em vários esportes e nas Olimpíadas com o pódio.

Mas quem foi campeão e merece o aplauso foi o time do Estudiantes. Time que já havia sentido o gosto amargo da segunda posição na Copa Sulamericana do ano passado e veio a Belo Horizonte dispoto a não sentir novamente este sabor. Time amadurecido pela derrota do passado, que veio sem pressão, contando com o apoio de toda nação argentina e jogando num ambiente onde a responsabilidade era toda do adversário.

Já o Cruzeiro entrou em campo com a (“simples”) obrigação de ser campeão das Américas e disputar o título do mundo contra o Barcelona.

A vitória (desta partida em particular) foi ao time que mereceu. Os argentinos jogaram inteligentemente. Sem sentir obrigação de vencer, marcaram muito bem e encaixavam contra-ataques. A equipe brasileira não conseguia invadir o campo adversário que era muito bem guardado. Sem mobilidade devido ao nervosismo, o time celeste parava na marcação dos argentinos.

No segundo tempo, no primeiro e único espaço dado pela marcação, Henrique chutou de fora da área, a bola desviou no zagueiro e entrou no canto direito. Tudo que o Cruzeiro precisava, mas foi o veneno que culminou em derrota. Após o gol, a torcida se inflamou, o time empolgou, partiu pra cima, procurando o segundo gol, procurando acabar logo com o jogo… e abrindo espaços para os contra-ataques. No primeiro deles, veio o empate e o jogo voltou a ser dramático.

O time voltou, então, à marcação e as bolas que chegavam a uma distância pouco segura do gol cruzeirense, era chutada sem cerimônia para longe. Assim também fazia a equipe do Estudiantes. Era a coisa certa a se fazer. Mas num chute desses, a bola saiu em escanteio para o Estudiantes e veio o segundo gol. Assim, de bola parada, em outro erro cruzeirense de marcação e o título mudou e mãos. Cruzeiro, vice-campeão.

E assim terminou a saga do Cruzeiro na Libertadores ’09. Mais uma edição histórica desta competição que tem a cara do time celeste. Muita experiência, muitas alegrias, uma única tristeza, muitos dias chegando em casa sem voz, muitas noites indo dormir em êxtase pelas comemorações. Foi uma edição inesquecível que vou lembrar com muito carinho, seja pelas amizades que fiz, pelas que foram reforçadas ou pelos bons momentos que cada jogo me proporcionou viver. Saldo mais que positivo.

xD

Brasileirão 2009 – 10ª Rodada

10ª Rodada: Cruzeiro 0 x 3 Atlético-MG

Jogo de meio de semana, sem importância para quem está na final da Libertadores, mas muito importante para quem está disputando a liderança do Brasileirão e está a mais de uma dezena de jogos sem sequer fazer sombra à superioridade do maior rival.

E assim foi o jogo. O Atlético-MG jogando por sua honra e o Cruzeiro cumprindo tabela de olho no jogo de domingo. O Atlético-MG com time titular e o Cruzeiro com time B jogando com atletas que nem reserva são.

O resultado final do jogo não foi surpresa para ninguém e os cruzeirenses nunca sentiram tanta indiferença por um clássico como por este, inclusive eu que, por isso, não tenho absolutamente mais nada a escrever sobre o jogo.

xD

Libertadores ’09 – Final

Primeiro jogo da final: Estudiantes 0 x 0 Cruzeiro

12471081406080610752

Jogo tenso, nervoso, catimbado. É final de Libertadores!

Como era de se esperar, o time da casa partiu pra cima. Não é por acaso que o Estudiantes está na final da maior competição das Américas. Jogando de forma inteligente, o time argentino tentava fazer valer o fato de estar jogando em casa usando suas maiores armas: a bola parada e Verón. Mas, sempre tropeçando em dificuldades do próprio time e esbarrando no ótimo setor defensivo celeste, a equipe do Estudiantes não conseguiu alcançar o gol.

O Cruzeiro jogou muito bem. Com tranquilidade, bom posicionamento em campo e solidez no setor defensivo, foi possível segurar a pressão dos minutos iniciais imposta pelo time da casa e se tranquilizar. Se muitos elogiam o Cruzeiro do meio pra frente, hoje o mérito foi dos demais jogadores.

Os volantes de marcação da equipe brasileira mostraram muita segurança em campo. Tanto Marquinhos Paraná quanto Henrique jogaram muito bem e sem afobação. Nas laterais, Gerson Magrão teve suas falhas, mas já era de se esperar sendo que este jogador é improvisado na posição e está vindo de contusão. Jonathan foi muito bem marcado e pouco apareceu no apoio ao ataque, mas as saídas de bola sempre passavam pelos seus pés e ele mostrava muita calma e qualidade. Na zaga, Leonardo Silva dispensa comentários, é um dos melhores zagueiros do país e ainda quase marcou gol. Já o reserva Anderson mostrou seriedade e qualidade e merece o reconhecimento de que jogou muito bem hoje.

E no gol, Fábio. O melhor jogador em campo. Com ótimas defesas, o goleiro cruzeirense garantiu todas as jogadas em que aconteciam falhas de marcação pelo resto do time. Sem dúvida, repito, o melhor jogador em campo.

No ataque o Cruzeiro se aventurou pouco, mas quando o fez foi perigosamente e, em dois lances de Kleber e WPaulista, assustou o adversário.

Zero a zero no placar, sem vantagem pra nenhum dos lados e a decisão agora é na casa do Cruzeiro, é no Mineirão!

xD

Foto-> REUTERS

Brasileirão 2009 – 9ª Rodada

9ª Rodada: Goiás 1 x 0 Cruzeiro

0000004166

Sinceramente, eu não sei praticamente nada sobre este jogo.

Não assisti, não li resenhas, não vi melhores momentos.

Só posso dizer que o Cruzeiro entrou com o time junior de novo e que o Andrey fechou o gol. O artilheiro da equipe adversária fez um gol em jogada de bola parada e ficou por isso mesmo.

Mas mesmo assim… Valeu garotada!

xD

-> Foto: Alex Malheiros

Libertadores ’09 – Semifinais

Segundo jogo das semifinais: Grêmio 2 x 2 Cruzeiro

FBL-LIBERTADORES-GREMIO-CRUZEIRO

Em meio a faláceas e provocações, destacou-se a melhor equipe.

Muito foi falado antes do jogo. Há algum tempo atrás, quando o jogo das quartas-de-finais entre Cruzeiro e São Paulo era apenas uma possibilidade, o jogador Souza foi perguntado qual destes dois times ele preferia jogar contra, numa possível seminfinal. O meio campo gremista respondeu que preferia o Cruzeiro, pois o São Paulo tem mais tradição.

Cuidado com os seus desejos, eles podem se realizar.

Na primeira partida, o Elicarlos foi vítima de um ato de racismo cometido pelo argentido Maxi López. O caso ganhou grande repercussão da imprensa e os gremistas falaram que, por conta disso, a segunda partida seria uma batalha, a batalha do olímpico.

Batalhas são feitas de guerreiros, e só guerreiros podem sair vitoriosos.

O desejo do Souza se realizou e os guerreiros cruzeirenses foram à batalha. Trinta minutos de desespero gremista tentando de todo jeito transpor a muralha azul. Dois minutos de pura competência cruzeirense, dois gols e classificação decretada.

O time do Grêmio veio pra cima como era de se esperar. Com jogadas aéreas oferecia perigo à zaga celeste que se defendia como podia, mas a sobra era sempre gremista, e nessas sobras sempre surgia um chute perigoso. O jogo foi assim até os 34 minutos do primeiro tempo.

Numa cobrança de lateral pela direita, o gladiador Kléber recebeu a bola junto à linha de lado, foi desbravando a zaga gaúcha e tocou para WPaulista estufar as redes. O gol deu a tranquilidade que o time celeste precisava e 2 minutos depois, Jonathan faz um passe longo na medida para o peixinho de WPaulista e o segundo gol do Cruzeiro. 2 a 0 e a classificação garantida.

No segundo tempo, o Grêmio ainda marcou duas vezes em falhas de marcação da equipe mineira que estava apenas administrando o resultado. Ao fim do jogo, na soma dos resultados, Cruzeiro 5 a 3.

É o Cruzeiro na grande final!

xD

-> Foto: Divulgação/VIPCOMM